Follow by Email

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Aguardem LOJA DE AMORES USADOS (poesia): lançamento - 08 de setembro, Editora Multifoco. Av. Mem de Sá, 126, Lapa (19:00 às 22:00h, com recitais e performances).


LOJA DE AMORES USADOS, de Carmen Moreno
Prefácio: Astrid Cabral, Quarta capa: Helena Parente Cunha

* CICLOS

Tenho um desejo sob a sola do meu sapato.
Caminho sobre ele – que é desejo que não se amassa.
Empoeirado sobre o solo, súbito se ergue,
enganando eras.
Um desejo jogado no árido:
o poema que cresce sem apuros de trabalho,
sem imagens lapidadas,
tudo que robustece sem leite de mãe.
Tenho um desejo que floresce, tolo:
Não rego, não noto, não provoco flor.
Quando olho, no meio da ramagem seca,
tem nova ameaça de amor!
* (p. 82)
 TEXTOS DE APRESENTAÇÃO (trechos):

Helena Parente Cunha
O talento de Carmen Moreno circula com a mesma sutileza clarividente nos vários gêneros literários e agora se excede neste surpreendente Loja de amores usados, em que sua arte se expande livre e senhora de uma intensidade poética raramente encontrada (...) Em primorosa construção de linguagem atravessada por imagens que a cada estrofe nos envolvem, acompanhamos esta viagem de um olhar solitário pelo mundo, descobrindo o "pó do pó, / o microscópico a olho nu".

Astrid Cabral
(...) Nesse rico e complexo percurso temático, a intensidade dramática sempre nos arrebata. Sobretudo porque Carmen Moreno, além de ter a experiência do teatro em seu currículo, é uma poeta visceral. Portanto, não se trata de simples habilidade ou ludismo verbal o que a conduz à produção poética. (...) não há como negar o forte impulso criador a extravasar seu magma, a desnudar-se sem subserviência a modelos exteriores, mas em conformidade a padrões rítmicos emocionais que lhe são próprios. (...)

terça-feira, 22 de junho de 2010

Carmen Castilho: Minha menina tem 93 anos...


Minha mãe é o tempo,
templos, tendas, todas as casas,
asas sobre nós.
Relíquias de alegrias
repartidas no gesto e na voz.
Moram mundos em seu coração de bronze,
que se estilhaça e se refaz,
em incansáveis curas.
Orixás restauram o chão sob seus pés,
a cada desventura.

Carmen Moreno (Loja de Amores Usados, ed. Multifoco). Lançamento em breve.