quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Carmen Moreno Canta e Interpreta Poemas no Teatro Glaucio Gill


VÍDEO (11:09MIN.):
TRECHO DO RECITAL
CARMEN MORENO E DELAYNE BRASIL
(música e poesia)

Teatro Glaucio Gill 
Evento: Terça ConVerso no Café

Para assistir: clique na seta abaixo

video

sábado, 12 de janeiro de 2013

Pinturas e Poemas de Carmen Moreno


QUANDO A POESIA É TELA:

 PINTURAS DA ESCRITORA
ENTRE POEMAS DO SEU LIVRO
LOJA DE AMORES USADOS
 (Não há vínculo entre as criações plástica e literária)

MINHAS MULHERES

Moram em mim mulheres,
mil duendes e lobos,
fetos curiosos de sol.
Sabedorias de velhices.
Moram em mim tantos homens,
que não deveria me esquivar de estar só.
Assim, só: eu e meus habitantes.

   
 Interferência sobre foto de Elis Regina




CAMA DE GATO

Os amantes se penetram.
Injetam-se um no outro, e perdem o rosto.
Drogados, adormecem do mundo
numa jura tácita de “Somos um”.
Os amantes se prometem.
Obrigam-se, abrigados um no outro.
Fechadas as portas, criam língua própria,
estrangeiros do mundo.
Os amantes se viciam,
escorados um no outro.
Engate sedutor,
protegidos do mundo.
Mas os amantes se desamam,
arrancam-se um do outro.
E sós, esbugalham os olhos, medrosos,
desacostumados do mundo.




CICLOS

Tenho um desejo sob a sola do meu sapato.
Caminho sobre ele – que é desejo que não se amassa.
Empoeirado sobre o solo, súbito se ergue,
enganando eras.
Um desejo jogado no árido:
o poema que cresce, sem apuros de trabalho,
sem imagens lapidadas,
tudo que robustece sem leite de mãe.
Tenho um desejo que floresce, tolo:
Não rego, não noto, não provoco flor.
Quando olho, no meio da ramagem seca,
tem nova ameaça de amor!




 ASAS

Teu lado mais bonito é o desgovernado.
O que mais te enfeita os olhos,
o que mais te afaga os ombros.
Quando tua criança se atira no nada,
e crê no coração que pulsa.
Quando tua criança, esclerosada e senil,
sacode as relíquias dos baús,
e lambe os beiços, e arrota sobre os pratos.
Teu lado mais bonito agora te despeja em meus braços.
Jogado como um anjo em meu poema,
sem comandar e sem dono.
Teu lado mais bonito é o do abandono.





ATÉ QUE A VIDA NOS SEPARE

Queria do amor o incansável encantamento.
Vigília de labareda, paixão eternizada
no primeiro momento:
como tentar aprisionar o vento.
Queria do amor o desejo assegurado.
Lareira acesa cruzando o tempo:
a ilusão da foto tentando atar o movimento.
Queria do amor o impossível:
Movimento sem corte,
renovação sem morte.
Queria do amor sempre um início.
Todas as tramas da intimidade,
sem o estigma do precipício.